Inicio Casa e Família Bebés e Crianças O perigo do açúcar na alimentação infantil

O perigo do açúcar na alimentação infantil

As crianças são as maiores fãs dos doces e estão mais expostas a alimentos com açúcar ‘escondido’, como a fast food, o ketchup e os refrigerantes. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as crianças portuguesas consomem cinco vezes mais açúcar do que deviam. Existem vários perigos do açúcar na alimentação infantil, sendo necessária uma mudança de hábitos. Quanto mais tarde se incluir os doces na alimentação das crianças, melhor.

Uma lata de refrigerante pode ter 10 colheres de chá de açúcar. Isto, mais coisa menos coisa, é a dose diária recomendada pela Organização Mundial da Saúde para adultos (12 colheres de chá) e quase o dobro do indicado para crianças (seis colheres). Além disso, segundo estudos do EPACI Portugal 2012 e Geração 21, em Portugal, os mais pequenos começam a consumir doces bem cedo, a partir dos 12 meses. Aos 4 anos, mais de metade já bebe refrigerantes açucarados diariamente e 65% come doces todos os dias.

Quais são os perigos do açúcar na alimentação infantil?

Sabemos que o abuso de açúcar expõe as crianças a perigos que podem prolongar-se pela vida toda. Entre os mais alarmantes e comuns está a maior probabilidade de a criança se tornar obesa e o alto risco de ficar com problemas de dentes, como cáries.

Como controlar e minimizar o consumo de açúcar na alimentação de uma criança?

Existem algumas estratégias simples que ajudam a impedir que o açúcar domine a dieta das crianças:

  • Tente controlar, desde cedo, o açúcar nas refeições que lhes prepara e ensine-os a valorizar o sabor natural dos alimentos;
  • Explique-lhes porque o açúcar a mais pode ser nocivo para a saúde;
  • Aposte em lanches escolares saudáveis, baseados em fruta, cereais integrais, frutos secos e laticínios com baixo teor de gordura;
  • Habitue-os a associar os doces a momentos especiais (festas ou a uma sobremesa, uma vez por semana, por exemplo);
  • Limite a tentação e a exposição aos doces; o ideal é mesmo não os ter à vista lá em casa;
  • Evite os refrigerantes e incentive-os a beber mais água;
  • Ensine-os a verificar a quantidade de açúcar nos produtos. Arranje estratégias fáceis e divertidas para os desafiar a interpretar os rótulos.

Partilhe este artigo e alerte os seus amigos sobre a necessidade de evitar a introdução do açúcar na alimentação da criança muito cedo. Quanto mais tarde se incluir os doces na alimentação, melhor. Faça desses momentos situações especiais e pontuais. No final, o que interessa é o bom senso e evitar exageros.

ÚLTIMOS ARTIGOS

Os benefícios e características do pêssego

Pelo seu aroma delicado e sabor irresistível, o pêssego tornou-se muito popular em todo o mundo. Devido à sua designação científica, Prunus...

Porco Ibérico: conheça esta carne tenra e suculenta

A carne de porco ibérico é proveniente de animais cruzados de raça ibérica pura finalizada com macho raça “duroc”. O cruzamento destas...

Queijo de Serpa: conheça tudo sobre este queijo DOP

O Queijo de Serpa é um queijo DOP (Denominação de Origem Protegida) com inspiração no queijo da Serra da Estrela. No entanto,...

Utensílios e facas que apreciadores de queijo devem ter em casa

Tábuas, facas de diversos feitios, raladores, bandejas, fondues… Não faltam utensílios ao serviço dos queijos. Se é um apreciador de queijo, conheça...

Beringelas Recheadas com Arroz de Tomate e Queijo Feta

Estas beringelas recheadas com arroz de tomate e queijo feta são uma receita rápida, saborosa e prática e o resultado deixa qualquer...