Inicio Casa e Família Decoração Dicas para cuidar das suas orquídeas

Dicas para cuidar das suas orquídeas

As orquídeas pertencem a uma das maiores famílias de plantas, a família Orchidaceae. Apresentam muitas e variadas formas, cores e tamanhos e, pela sua diversidade e beleza, as orquídeas são muito populares como plantas de interior e como flores para decoração.

O que deve saber para cuidar das orquídeas

Qual a espécie mais indicada?

Existem cerca de 30 mil espécies de orquídeas, que requerem diferentes cuidados pelas suas características particulares. Se não é especialista na matéria, pode optar por uma das mais fáceis de cultivar: a Phalaenopsis .

Plantas de interior: orquídea Phalaenopsis

Quais os vasos mais adequados?

Na natureza, as Phalaenopsis crescem agarradas a troncos ou ramos de árvores. Assim, esta espécie de orquídea beneficia se receber luminosidade nas raízes através de um vaso transparente. Este permite também controlar melhor a quantidade de água no seu interior. É importante deixar a base da orquídea dois dedos de altura abaixo da boca do vaso. Se estiver a menos de um dedo da boca do vaso é recomendado trocar para um vaso maior.

Que cuidados são necessários com a temperatura e luz?

Alguns tipos de orquídeas gostam de muita luz, enquanto outros preferem uma baixa luminosidade. Se optar pelas Phalaenopsis, para além de temperaturas amenas, estas orquídeas precisam de luz, sem sol direto. Escolha um local arejado, com boa luz e onde o sol não bata nas horas de maior calor, de forma a criar o ambiente ideal para a orquídea florir. Nas alturas em que o sol é mais forte, uma cortina é o suficiente para protegê-las.

Qual o substrato ideal?

Não sendo plantas terrestres, o melhor substrato é uma mistura de casca de pinheiro com fibra de coco ou trufa e alguma leca, carvão ou mesmo pequenos pedaços de cortiça em partes iguais.

Qual a periodicidade e forma de rega?

A rega depende do tipo de espécie, sendo que o ideal é verificar o estado do substrato. Se for uma espécie que necessite de muita água, deve manter o substrato bastante húmido. No caso das orquídeas que apresentam menor necessidade de água, basta que o substrato esteja ligeiramente húmido. Por exemplo, as orquídeas Phalaenopsis, nas épocas mais quentes, devem ser regadas uma a duas vezes por semana despejando um ou dois copos de água por vaso e deixando escorrer bem. Pode também mergulhar o vaso num recipiente com água e, depois de 10 minutos, escorrê-lo bem, deixando sair o excesso de água. Nos meses mais frios rega-se da mesma forma, mas com menos água e menor frequência, sendo o recomendado uma vez por semana. A frequência e forma de rega deve ser respeitada, uma vez que o excesso de água pode tornar-se fatal para esta planta de interior.

Diferentes tipos de orquídeas necessitam de diferentes cuidados, tal como acontece com as plantas no geral. A maioria das plantas de interior têm preferência por locais com luz, mas sem sol direto, e uma frequência de rega moderada, de uma a duas vezes por semana. No entanto, é sempre recomendado que se informe sobre qual a espécie da sua orquídea para que siga os cuidados mais adequados para uma planta bonita e florida.

Se tem familiares e amigos que gostam de orquídeas, partilhe estas dicas com eles.

ÚLTIMOS ARTIGOS

Os melhores espumantes para as suas Festas

Chegamos ao mês do Natal e da passagem de ano. É o momento de fazer balanços, mas também de festejar por ter...

Tudo o que precisa saber sobre as couves

Por serem alimentos ricos a nível nutricional e com baixo valor calórico, as couves podem e devem fazer parte de uma alimentação...

Dicas para enfeitar a árvore de Natal

Acredita-se que a tradição de enfeitar árvores no Natal surgiu no século XVI na Alemanha, através de Martinho Lutero. Reza a lenda...

Conheça os chás e tisanas mais reconfortantes

O chá é apreciado por toda a gente e tem uma história que remonta a 3000 anos a.C. Beber uma chávena de...

Conheça o azeite Cinco soldos

Muito saudável e com um papel central na alimentação mediterrânica, o azeite está intrinsecamente ligado à nossa gastronomia. O Continente, ao reconhecer...